domingo, 6 de abril de 2014

Agenda da Semana - 07/04/14 à 13/04/14


Confissões em preparação à Páscoa do Senhor


Doações para a JMJ continuam no site e por depósito bancário

     As doações para a JMJ Rio2013 continuam no mês de abril. Agora, somente duas formas de doação estão disponíveis: pelo site do Instituto para a Juventude,  www.ijuventude.org, e por depósito bancário. 

     A conta para a campanha “Doe de Coração” é do Banco Bradesco, agência: 0814, Conta Corrente: 8080-2, sob  titular o “Instituto Jornada Mundial da Juventude Rio de Janeiro”, CNPJ: 14192317 /0001-81.
     Até o final do mês de março, a campanha “Doe de Coração” arrecadou R$ 800 mil. 

domingo, 30 de março de 2014

Agenda da Semana - 31/03/14 à 06/04/14


Dom Orani celebra missa por canonização do beato José de Anchieta

     O beato José de Anchieta será canonizado pelo Papa Francisco, no dia 2 de abril, por meio de um decreto. Para celebrar a canonização, o arcebispo do Rio, Cardeal Orani João Tempesta, presidirá uma missa em ação de graças na Catedral Metropolitana de São Sebastião, no dia 2 de abril, às 18h.
     O Papa Francisco celebrará ainda uma missa em ação de graças pela canonização do 'apóstolo do Brasil' no dia 24 de abril na igreja romana dos jesuítas, 'Chiesa del Gesù'.  Nascido em Tenerife, nas Ilhas Canárias (Espanha), o beato foi um religioso fortemente ligado à evangelização no Brasil.


     O jovem jesuíta desembarcou em solo brasileiro em julho de 1553, onde fundou junto com o padre Manoel da Nóbrega um colégio em Piratininga, que deu origem à cidade de São Paulo. Assim como Anchieta, Papa Francisco é membro da Companhia de Jesus, ordem fundada por Inácio de Loyola.
     A beatificação de Anchieta foi feita por João Paulo II em 1980. O Papa Francisco também vai assinar decretos de canonização de dois beatos franceses que promoveram a evangelização no Canadá: François de Montmorency-Laval e Maria da Encarnação Guyart.

Fonte: http://arqrio.org/noticias/detalhes/1817/dom-orani-celebra-missa-por-canonizacao-do-beato-jose-de-anchieta

sexta-feira, 28 de março de 2014

Não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos...

    A Igreja dentro do ciclo Natalino anuncia o mistério pascal, isto é, paixão, morte e ressurreição, quando celebra a solenidade da Epifania do Senhor para nos ensinar que Aquele que nasceu em Belém, assumindo a nossa humanidade para divinizá-la, dará sua vida por nós em Jerusalém e ressuscitará para nossa salvação. Por isso que as duas solenidades, Natal e Páscoa estão plenamente interligadas, pois uma não existe sem a outra. 
     Só houve ressurreição porque antes houve paixão e morte, mas é ela que dá sentido à paixão e morte de Cristo. Por isto Ele não para na sexta–feira da paixão, mas caminha para a glória da ressurreição. No momento da paixão e morte de Cristo, o Pai não se fez ausente, mas foi solidário com Ele. A alegria “do mundo” durou apenas três dias, pois o Pai o ressuscitou pela força do Espírito Santo.



     O apóstolo Paulo diz que, “se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo” 2 Cor 5,17. Fomos mergulhados pelo batismo na Sua morte para com Ele ressuscitarmos para vida plena (Rm 6,4) e por isso nos convida também a buscarmos as coisas do alto (Col 3,1). Esta citação quer nos ensinar que devemos ter um olhar para Deus, e assim ver a realidade não com o nosso olhar humano, mas com os olhos da fé. 
     Viver como pessoa ressuscitada, é ter os mesmos sentimentos que há em Cristo Jesus (Fl 2,5), ter entranhas de amor, de perdão e misericórdia; saber viver na justiça e na verdade; ser promotor da paz e da alegria; saber acolher o Cristo no irmão, ser fraterno e solidário, pois aquele que ressuscitou com Cristo, não somente doa, mas doa-se, isto é, se coloca junto do outro. Desta forma, estaremos indo contra a pregação do “mundo” que quer incutir em nós a cultura da morte, dizendo que o pecado sobrepõe à graça, que a morte é mais forte que a vida e que o mal vence o bem. 
    Somos chamados pelo Ressuscitado, a ser sal da terra, luz do mundo e fermento na transformação da sociedade, o que significa que a nossa fé não pode ser intimista, mas deve ser vivenciada na verticalidade e horizontalidade, onde a nossa relação com Deus deve incluir o outro. 
     A Campanha da Fraternidade deste ano, que traz o tema: “Fraternidade e Tráfico Humano” e o lema: “É para a liberdade que Cristo nos libertou” (Gl 5, 1), nos convida a construir o reino de Deus aqui na terra e que terá sua plenitude com a segunda vinda do Senhor. Mas, enquanto Ele não vem, nós somos chamados a humanizar as relações humanas para que o outro não seja tratado como objeto e mercadoria. Muitos, em sua realidade de pobreza, são aliciados com falsas promessas de trabalho digno e partem para outros Estados ou para o exterior, caindo na armadilha de trabalho escravo, prostituição, mutilação e até morte (por conta do tráfico de órgãos). 
     É bom lembrar que somos filhos de Deus criados à sua imagem e semelhança e recriados em Cristo para que tenhamos vida e vida em abundância (Jo 10,10b). O cristão verdadeiro é aquele que vive como ressuscitado, sendo sinal de ressurreição e nunca desprezando a doutrina social da igreja que nos chega também por meio da Campanha da Fraternidade. Por isso, “Não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos, renovando vossa maneira de pensar e julgar, para que possais distinguir o que é da vontade de Deus, a saber, o que é bom, o que lhe agrada, o que é perfeito.” (Rm 12,2).


Por: Padre José Rosa Afonso
Pároco da Paróquia Jesus Ressucitado - Vila da Penha - Rio de Janeiro

Documentário CF 2014 Tráfico Humano

sábado, 22 de março de 2014

Cardeal Tempesta celebra Missa na Comunidade Mandela (Vicariato Leopoldina) e leva palavra de esperança aos moradores

Dom Orani:

    “O desejo é que o pecador se converta”, afirmou o arcebispo do Rio, Cardeal Orani João Tempesta, durante a missa presidida na manhã deste sábado, dia 22 de março, na Capela São Miguel Arcanjo, na Comunidade do Mandela, em Manguinhos. A celebração que já estava marcada anteriormente trouxe momentos de paz para os moradores do local que passaram por recentes conflitos, quando traficantes atacaram à Unidade de Polícia Pacificadora (UPP).
    "Esta missa é a oportunidade de anunciar que no meio dos conflitos e tribulações cremos em Jesus, caminho de vida e paz para todos. Celebramos a certeza da ressurreição, da vida em Cristo. Sabemos que a paz é possível pela fé, vida fraterna, amor e esperança. Lembramos que a comunidade têm locais abençoados pelo Papa Francisco durante a Jornada Mundial da Juventude Rio2013", disse Dom Orani.
    A missa foi concelebrada pelo bispo auxiliar Dom Roque Costa Souza, pelo vigário episcopal para a Vida Consagrada, Dom Roberto Lopes, que é responsável pela Causa dos Santos, pelo vigário episcopal para a Caridade Social, cônego Manuel Manangão, pelo vigário episcopal do Vicariato Leopoldina, padre Alex Siqueira, e pelos diversos sacerdotes presentes.
   

    No final, o arcebispo deu a bênção com a relíquia da Beata Irmã Dulce, que foi entregue ao cônego Manangão. O Banco da Providência foi escolhido para ser a primeira das entidades sociais a receber a relíquia.
    O Rio Celebra é transmitido aos sábados, das 9h às 10h, pela Rede Vida, TV Nazaré, WebTV Redentor, Rádio Catedral FM 106,7 e Rádio Canção Nova RJ.
Fotos: Gustavo de Oliveira